Antonio Carlos “Cara de Sapato” e a Síndrome do Pânico

Campeão do 'The Ultimate Fighter Brasil 3' mostra ser um vencedor também fora dos octógonos

1567

“Frescura”, “bobagem”, “maluquice”, “falta de Deus”, “de fé”… Estas são apenas algumas das “definições” que nós, pacientes de transtornos de ansiedade, costumamos ouvir de pessoas que desconhecem o nosso problema.Atacados por um medo incontrolável, que vem de não sabemos onde e nem quando, ainda temos que nos preocupar com o julgamento de pessoas próximas, tantas vezes nossos familiares – com quem deveríamos poder contar, mas que não conseguem (e às vezes não querem mesmo) nos compreender. Mais do que isso, nos ajudar.

A vergonha é um dos motivos que nos fazem adiar a procura por ajuda médica. No caso dos homens, essa dificuldade é ainda maior. Se o sentimento de fragilidade não é nada fácil de assumir, imagine num universo tão machista como no que vivemos. Pois o nosso entrevistado, nada menos do que o lutador de MMA Antonio Carlos “Cara de Sapato”, bicampeão mundial e campeão Pan-Americano absoluto de Jiu-Jitsu, e campeão da última edição do TUF Brasil, exibido pela TV Globo, enfrentou todo esse preconceito de cabeça erguida.

Há cerca de três anos, Cara de Sapato foi acometido por crises de pânico e saiu em busca de um diagnóstico. Após peregrinar por diversos médicos, de diversas especialidades, recebeu a indicação de se consultar com um psiquiatra. Com coragem e humildade, aceitou o tratamento e hoje leva uma vida, como ele mesmo diz, “normal”.

Prestes a fazer sua primeira luta no UFC após o The Ultimate Fighter (no dia 20 de dezembro ele enfrentará o americano Patrick Cummins), este paraibano de 24 anos nos mostra que é um vencedor não somente nos tatames e octógonos, mas também na vida!


Confira também: Da síndrome do pânico ao sucesso no TUF Brasil 3: conheça a história de ‘Cara de Sapato’

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA