Psicóloga Rosanna Mannarino fala sobre a importância da psicoterapia

1234
Para a psicóloga, a TCC é a melhor abordagem

Sempre que me procuram para pedir alguma orientação sobre o tratamento para transtornos de ansiedade – geralmente para o pânico -, eu recomendo que, em primeiro lugar, a pessoa procure um médico, de preferência um psiquiatra. Depois, que considere a possibilidade de fazer terapia.

Na minha opinião, a medicação inicial é necessária para aliviar os sintomas (medo intenso, taquicardia, falta de ar, tremores, formigamentos, e tantos outros que nós, pacientes, conhecemos tão bem), pois somente com essas sensações controladas o paciente terá condições de ser beneficiado pela ajuda de um acompanhamento psicológico.

A psicóloga Rosanna Mannarino, minha parceira no projeto Sem Transtorno, explica um pouco mais sobre a tão falada “TCC”, a Terapia Cognitivo-Comportamental.

ST – De que maneira a Terapia Cognitivo-Comportamental pode ajudar um paciente com síndrome do pânico?
RM – Os pacientes com pânico apresentam uma variedade de sintomas cognitivos, como medos catastróficos de calamidades físicas ou perda de controle, assim como sintomas comportamentais, como fuga ou evitação. A TCC tem como objetivo reverter cognições disfuncionais (medo), juntamente com métodos comportamentais, incluindo o treinamento da respiração, o relaxamento e a terapia de exposição.

ST – E o que seria essa terapia de exposição?
RM – A terapia de exposição leva o paciente a enfrentar algo que ele tanto teme. Esse medo pode ser irracional, mas também pode ser racional, fruto de alguma experiência negativa vivida pelo paciente. A exposição pode parecer desagradável, e muitas vezes é mesmo, mas evitar uma situação da qual se tem medo não é exatamente a solução ideal.

ST – Por que evitar determinadas situações não é saudável para o paciente com pânico?
RM – Quando você evita algo de que tem medo, alimenta esse medo; reforça a ideia de que a situação é realmente perigosa. Ele reforça o pensamento negativo (pensamentos automáticos), tornando-se um ciclo vicioso ao invés de buscar habilidades para lidar com a situação de stress. Com estas pequenas informações, esperamos sensibilizá-lo a partir da percepção e entendimento do processo do quadro clínico para a compreensão da importância da busca de terapia e de acompanhamento de um psiquiatra.

Rosanna Talarico Mannarino é Psicóloga Clínica, pós-graduada em terapia familiar e em tratamento e prevenção à dependência química. Tem formação em TCC e arte terapia. Contato: (21) 9165-0576 rosanna.talarico@yahoo.com.br (CRP 23434/05)Rosanna Talarico Mannarino é Psicóloga Clínica, pós-graduada em terapia familiar e em tratamento e prevenção à dependência química. Tem formação em TCC e arteterapia. Contato: (21) 9165-0576 rosanna.talarico@yahoo.com.br

 

9 COMENTÁRIOS

  1. Olá sou portadora de Agorofobia a quase dois anos, infelizmente estou alguns meses sem medicamentos acho que isso está me prejudicando bastante. Mas já marquei nova consulta com o psiquiatra…. Gostaria muito de participar do seu grupo. Adorei o seu blog. Sofro muito pois a minha família não entende o meu problema… acham que é bobeira da minha.Estou precisando de ajuda. Bjs no seu ♥

  2. Oi, eu sou portador e na minha cidade semore procuro um psicologa ou psiquiatra mas todos nao entende no primeiro dia eles me passam remedios nos outros falam que nao sabem , que nao sabem o que fazer , em minha cidade sempre que vem novos medicos os provuros mas nenhuns me entendem vcs nao conhesem nenhum na cidade de Janaúba MG

  3. Rita, é importante saber se você está tomando a medicação de forma prescrita pelo seu médico e que você converse com ele, avalie com ele, pois alguns efeitos colaterais acontecem no início do uso e com a continuidade esses efeitos diminuem.
    Informe também seu terapeuta sobre esse desconforto para que ele possa avaliar se não está ocorrendo melhoras ou se sua ansiedade pode estar deturpando sua percepção. E pergunte a linha de atuação dele.
    Abraços, Rosanna Mannarino (psicóloga)

  4. Olá, Rita,
    A TCC é uma forma de psicoterapia, considerada a mais adequada para os casos de pânico. Eu faço e gosto muito. Pergunte ao seu psicólogo se sua terapia é TCC. Existem várias técnicas de respiração e de relaxamento que você pode utilizar, além de praticar alguma atividade física (caminhadas, por exemplo), que ajudam bastante a diminuir os sintomas. Aqui no blog eu já postei diversas dicas, quando tiver um tempinho, dê uma navegada! Boa sorte! Abs.

  5. Faço tratamento medicamentoso há dois anos, com várias mudanças de remédios, pois sinto muito os efeitos colaterais. Faço também terapia há quase dois anos, mas não sei se é TCC. Não sinto melhoras, estou com crises constantes. O que posso fazer para melhorar todo esse quadro de SP?
    obrigada, Rita

DEIXE UMA RESPOSTA